Algumas aplicações mais comuns da IA são o reconhecimento facial, de voz e da localização de um usuário, a possibilidade de prever condições meteorológicas ou de tráfego e a criação de jogos mais reais.

Nos negócios, a inteligência artificial já é utilizada em todos os segmentos, por meio de chatbots que realizam o primeiro atendimento digital, assistentes virtuais e sistemas de gestão que fomentam a análise de dados para garantir mais produtividade nos processos.

Algumas fabricantes de celulares também já fazem o uso da tecnologia em suas câmeras, sendo possível a identificações de diversos cenários automaticamente, com isso, a IA faz ajustes para um resultado excelente da fotografia.

Objetivo

Resumidamente, o objetivo é criar softwares que raciocinem melhor as entradas de dados e expliquem, como seres humanos, suas saídas, por meio de ações ou relatórios.

Com robôs, é possível, por exemplo, substituir pessoas que realizam tarefas repetitivas, conferir apoio para a tomada de decisão ou realizar atividades que comprometam a saúde e a integridade humanas.

Diferentemente da automação por robôs, a IA permite a realização de tarefas frequentes e volumosas de forma confiável e sem fadiga.

Como funciona?

Como o próprio nome já diz, a IA tem como objetivo simular uma característica humana muito específica: a inteligência. Seu foco está na elaboração de sistemas que consigam simular com perfeição o raciocínio humano. Mais do que seguir linhas de programação, a IA busca criar máquinas que consigam se adaptar, aprender e desempenhar tarefas como pessoas.

Entretanto, a simulação das condições da mente humana se mostrou como uma tarefa muito mais difícil do que tinha se imaginado no início de seus estudos. Isso se deve muito à dificuldade do entendimento e do funcionamento de todos os processos biológicos que acontecem em um cérebro humano.

Assim, a inteligência artificial atualmente funciona por meio de processos que envolvem muito mais do que é possível realizar nas nossas experiências do dia a dia. Ela é feita por códigos e programação que funcionam por meio de funções matemáticas.

De maneira geral, a ideia é ter uma função na qual, quando se insere um determinado valor, outro valor surge. O importante é entender que esses valores não são aleatórios, mas têm um significado e, portanto, uma função. Da mesma forma, códigos de computador também não são aleatórios, sendo que cada um deles é responsável por um papel no sistema.

Dessa forma, a IA corresponde a uma máquina com a capacidade de analisar uma enorme quantidade de dados por meio de inúmeros códigos. A forma como as máquinas analisam e a maneira como elas interpretam os dados vai depender muito da sua finalidade e da abordagem que utilizam.

Existe uma grande variedade de tecnologias baseadas em inteligência artificial. São vários códigos, dados e conhecimentos acumulados ao longo das décadas de estudo da área. Isso permite que o processo de ensino e aprendizado seja infinitamente superior ao que se pode imaginar.

Como as empresas se beneficiam da IA?

Nas empresas, o principal foco do uso de inteligência artificial é a obtenção de eficiência operacional. Isso abrange o uso inteligente de recursos, redução de tempo entre processos, aumento da previsibilidade de demanda e melhoria da experiência do consumidor.

Confira os benefícios da IA para as empresas:

  • Inovação
  • Automatização de tarefas
  • Segurança
  • Produtividade
  • Melhoria do relacionamento com o cliente
  • Análise preditiva

Quais as aplicações da IA nas empresas?

Na prática, a aplicação de inteligência artificial nas empresas pode acontecer de várias formas, veja a seguir.

  • Chatbots
  • Assistentes virtuais
  • Softwares de gestão
  • Análise de dados
  • Cruzamento de informações

A inteligência artificial permite que as empresas obtenham novos insights sobre seus clientes e processos, melhorem aspectos estratégicos, principalmente relacionados a eficiência, e criem produtos mais adequados e serviços mais inteligentes para se manterem competitivas.

Ela já é uma realidade, e não mais uma tendência. É necessário criar um planejamento eficiente, com base na adoção de novos métodos de trabalho e na preparação da cultura organizacional, além da busca por parceiros estratégicos que possam oferecer soluções acessíveis para a digitalização de processos.