Artigos e Notícias

ULTRA-i na Pet South America 2019

Na última terça feira, 21/08, a ULTRA-i visitou a Pet South America – Feira Internacional de Produtos e Serviços para a Linha Pet e Veterinária em São Paulo.
Durante a visita, a equipe ULTRA-i pôde acompanhar as novidades e conhecer um pouco mais sobre o setor Pet que segue em expansão. A feira foi dividida por áreas, voltada ao público que trabalha com higiene, estética e beleza, aquarismo, saúde animal e também prestação de serviços, como crematórios, cemitérios e planos funerais Pet.

Seguindo a tendência do setor, a ULTRA-i preparou o Ecossistema iVertex para atender o ramo Pet. Os módulos foram direcionados, permitindo o cadastro completo do animal e seu tutor. O ERP, permite uma visão surpreendente de todo o negócio, desde o atendimento até o financeiro de sua empresa. O sistema pode ainda ser integrado à plataforma Vida & Memória Pet, criada para eternizar memórias dos pequenos companheiros de vida. O Vida & Memória Pet tem recursos que possibilitam prestar homenagens e criar um memorial para o Pet, além de ser uma ótima ferramenta para auxiliar os visitantes durante as cerimônias, exibindo as informações em um painel e auxiliando na localização através de um QRCODE.

Veja alguns exemplos de como a tecnologia ajuda cemitérios e funerárias na hora do adeus

Nada se compara na vida de uma pessoa como a despedida de um ente querido. A carga emocional é muito grande e os prestadores de serviços funerários precisam oferecer os melhores serviços e a melhor experiência aos familiares neste difícil momento. A tecnologia neste caso, se torna uma importante aliada. De facilidades na hora do velório aos enterros sustentáveis, há diversas ferramentas que trazem mais conveniência para estas situações. Confira alguns exemplos.

Interatividade_1

WhatsApp

O Whatsapp, app número um quando se pensa em mensagens diretas, pode ser um grande aliado das famílias. Uma das maiores preocupações nesta hora é a de conseguir avisar todos os parentes e amigos com informações sobre o velório e enterro. Pode parecer uma tarefa simples, mas a carga emocional e a quantidade de pessoas a serem avisadas torna a missão um pouco mais difícil. Para ajudar, cemitérios e funerárias apostam em serviços de mensagens via WhatsApp.

QR Code em lápides

Os cemitérios também buscam soluções para facilitar a identificação e resgatar a história das pessoas enterradas em seus jazigos. Tecnologia disseminada com a popularização dos smartphones, a tecnologia QR Code já é um elemento presente em lápides de várias cidades do País. A ULTRA-i com a plataforma Vida & Memória traz toda a identificação de quem está enterrado no local, como foto e biografia, facilitando o resgate histórico e a preservação da memória.

Sistemas de localização

Interatividade_2Em grandes cemitérios é comum as pessoas se perderem na tentativa de achar o túmulo de seu ente querido. Hoje, O Vida & Memória oferece a localização das sepulturas de forma online, permitindo que as pessoas consultem a localização exata em seu próprio smartphone. A ULTRA-i também possui dentro de seu Ecossistema iVertex, o módulo de Planta Virtual, que pode auxiliar os visitantes nos cemitérios em dias de grandes fluxos. Com a área totalmente demarcada e diferenciada por cores, os visitantes podem ver, por exemplo, quais jazigos estão disponíveis para compra.

Velas virtuais

Quem costuma visitar o túmulo de algum parente ou amigo normalmente leva uma vela para rezar pela alma da pessoa. A prática também é comum em datas especiais, como Finados e Dia das Mães. Entretanto, a quantidade de velas acesas em um mesmo local aumenta o risco de incêndio e exige precaução constante da empresa responsável pela administração. Uma alternativa interessante é a adoção de velas virtuais, que “queimam” na página do perfil da pessoa cadastrada no Vida & Memória na internet e duram a quantidade de dias que desejar.

Phishing: conheça o golpe que causa 90% dos roubos na internet

Você vê uma promoção ótima em um site e decide aproveitar: preenche os dados, efetua o pagamento e, na hora de receber o produto ou serviço, percebe que sofreu um golpe. Esse tipo de prática recebe o nome de Phishing e, de acordo com especialistas, aliada a outros tipos de abordagem é a principal ameaça cibernética no Brasil hoje.

O Phishing é, em geral, criado por fraudadores que identificam vulnerabilidades em um sistema ou conseguem acesso a ele com credenciais roubadas. Um mecanismo bastante comum é o uso de domínios similares (réplicas quase idênticas de um site com uma URL semelhante) e e-mails direcionados aos clientes da organização cuja página foi clonada.

A ação mais conhecida são as campanhas por e-mail. Os destinatários das mensagens falsas — sejam eles grandes redes de usuários ou indivíduos específicos — são abordados com comunicados que parecem reais e, depois, direcionados a sites ilegítimos. E muitos não têm ferramentas para reconhecer essas ameaças.

Link falso que leva o usuário a acreditar que é o site do Facebook.

Como identificar o phishing

Segundo a Cyxtera (provedora líder de segurança digital focada na detecção e prevenção total de fraudes eletrônicas), entre 2017 e 2018, cerca de 90% dos executivos de segurança cibernética relataram ataques por pelo menos um tipo de phishing. Neste universo, em um tipo de golpe, os fraudadores criam e-mails altamente detalhados, se passando por um executivo de alto nível ou funcionário do setor financeiro de uma organização, para obter acesso às informações confidenciais. Em alguns casos, chegam a solicitar transferências de dinheiro para suas próprias contas.

Com tanto profissionalismo para aplicar o golpe, o Michael Lopez, vice-presidente e gerente-geral de Total Fraud Protection da Cyxtera reforça a importância de estar atento para não cair em golpes. “Globalmente, os ataques ocorrem em qualquer ponto de contato com os usuários, incluindo lojas de aplicativos que hospedam aplicativos desonestos, plataformas de rede social com perfis falsos, mensagens SMS, domínios falsos e muito mais”, alerta.

Como se proteger do Phishing

-Suspeite de telefonemas não solicitados, visitas ou mensagens de e-mail de pessoas ou empresas perguntando sobre funcionários, clientes, credenciais ou outras informações internas.
– Não abra anexos suspeitos ou que você não tenha solicitado.
– Sempre que acessar um site, certifique-se que a url começa com “https”.
– Verifique o ícone verde do cadeado no endereço de um site.
– Se desconfiar do e-mail, não clique no link.
– Cheque sempre o endereço de e-mail do destinatário.
– Proteja suas senhas. Altere-as de tempos em tempos.
– Não resgate mensagens do lixo eletrônico.
– Não responda ou clique em links de e-mails que peçam atualizações pessoais financeiras.
– Confira sempre se o antivírus está funcionando.

Programas de antivírus podem detectar e bloquear e-mails de spam antes que eles cheguem à sua caixa de entrada. Também é possível identificar sites não seguros antes mesmo de você continuar a navegação. Marcas populares são facilmente utilizadas por sites ardilosos para instalar banners de propaganda falsa e roubar dados pessoais.

Antes de clicar no link, passe o mouse sobre ele e verifique se ele possui erro ortográfico. Se possuir, tenha certeza, cibercriminosos estão tentando engana-lo com uma página falsa.

Os cibercriminosos sabem que as organizações usam estratégias para prevenir Phishing e outros ataques e, por isso, adaptam constantemente as táticas que usam para contornar esses mecanismos. No ambiente corporativo, é essencial ter visibilidade total dos ataques para evitar que eles avancem a ponto de causar danos irreversíveis antes de serem detectados. Se detectados em estágio inicial, há mais chances de evitar consequências negativas.

No Japão, cachorros robôs têm funeral budista

Enterrar seu pet de estimação pode ser algo não tão fácil de se fazer, são sempre acompanhados com tristeza e palavras de despedida. Com os cães-robôs do Japão, para alguns, é a mesma coisa. O templo budista Kofukuji, nos arredores de Tóquio, já conduziu cerimônias funerárias para mais de 800 cachorros Aibo mortos.

O Aibo foi lançado pela Sony em 1999, com o chamariz de ser o primeiro robô com foco em entretenimento criado para uso doméstico. A primeira linha, com 3 mil unidades, esgotou em apenas 30 minutos, mesmo custando o equivalente a US$ 2 mil. Os números continuaram crescendo e o Aibo conseguiu vender mais de 150 mil unidades. Mas, em uma tentativa de cortar custos, a Sony decidiu interromper a produção do companheiro robótico em 2006.

Posteriormente, a empresa também cancelou o serviço de suporte e, desde 2014, os donos do Aibo têm buscado maneiras de lidar com os cadáveres robóticos de seus antigos companheiros. A A Fun, companhia especializada em restaurar produtos vintage, criou um serviço que recebe os Aibo mortos e os envia para o templo Kofukuji. Lá, eles recebem uma etiqueta dizendo de qual região do país vieram e quais eram seus donos. Os monges, então, seguem um processo que inclui cânticos e queima de incenso para garantir que as suas almas consigam descansar em paz. Muitos dos cães vêm acompanhados de bilhetes de despedida.

Em entrevista a agência France-Presse (AFP), o monge Bungen Oi disse que não via nada de errado ao dar um adeus digno a companheiros de quatro patas, mesmo que eles sejam robóticos. “Todas as coisas têm uma alma”, afirma. Após a cerimônia, a A Fun retira peças dos Aibo antigo que ainda podem ser usadas para consertar modelos que estejam menos danificados.

Setor funerário tem faturamento de até R$7 Bi ao ano

Informações atualizados do Sincep (Sindicato dos Cemitérios e Crematórios Particulares do Brasil) revelam que faturamento anual de toda a indústria funerária brasileira soma R$ 7 bilhões. De acordo com o órgão, o resultado foi definido por estatística e envolve todo o movimento da indústria: sepultamento, cremação e serviço funerário. O setor continua crescendo e apresentou avanço em praticamente todos os serviços. O destaque ficou por conta das solicitações de cremação, que teve uma elevação de 35%. “O processo de cremação em caso de morte natural é rápido e prático. A longo prazo é também mais Continue Reading…

Saiba mais sobre Pagamento Recorrente e como a sua empresa pode usá-lo

Em outra época, usava-se o modelo de pagamento recorrente apenas os que prestavam serviços, como o NetFlix, Spotify, Revistas, Tv a cabo e internet. As vantagens do pagamento recorrente são tantas, que até mesmo quem vende produtos começou a aderir.

Mas a pergunta é: O que é pagamento recorrente?

O pagamento recorrente é aquele feito no caso de um serviço contínuo, quando existe uma “assinatura” ou o pagamento de mensalidades.
Mas o que isso significa? Continue Reading…

Em Blumenau, projeto de lei dispensa doadores de órgãos de pagar por serviço funerário

Em Blumenau, na Câmara dos Vereadores, está tramitando uma proposta de lei que visa incentivar a doação de órgãos e o auxílio às famílias de baixa renda no momento da morte de um familiar.

Entregue por Almir Vieira, o projeto sugere que a família dos doadores de órgão não precisem arcar com as despesas municipais de sepultamento. Para o vereador, além de poder ser um estímulo para que os Blumenauenses aumentem os números de doações de órgãos, pode ser também um apoio para as famílias que não tem condições de pagar pelo serviço. Continue Reading…

Curiosidade Pet: Saiba quais são os nomes de cachorro mais populares no Brasil

Foi realizado pela DogHero, plataforma digital de hospedagem domiciliar e passeios para cães, o Censo Canino.

A pesquisa foi realizada pela internet e levantou dados de mais de 670 mil cadastros. Na plataforma, os donos deveriam informar o nome do seu cãozinho, raça, gênero, idade e até mesmo região do Brasil. Dá para saber, por exemplo, quantos cachorros possuem o mesmo nome do seu, em qual raça e Estado o nome é mais comum, entre outros.

Para as fêmeas, o nome Sofia saiu da lista em comparação com o ano anterior, o vira-lata continua sendo a raça de dog preferida do brasileiro e o nome Cacau entrou na lista de machos.

 

 

 

Nomes de cachorros machos preferidos Continue Reading…