Artigos e Notícias

Afinal, o que é a inteligência artificial?

Algumas aplicações mais comuns da IA são o reconhecimento facial, de voz e da localização de um usuário, a possibilidade de prever condições meteorológicas ou de tráfego e a criação de jogos mais reais.

Nos negócios, a inteligência artificial já é utilizada em todos os segmentos, por meio de chatbots que realizam o primeiro atendimento digital, assistentes virtuais e sistemas de gestão que fomentam a análise de dados para garantir mais produtividade nos processos.

Algumas fabricantes de celulares também já fazem o uso da tecnologia em suas câmeras, sendo possível a identificações de diversos cenários automaticamente, com isso, a IA faz ajustes para um resultado excelente da fotografia.

Objetivo

Resumidamente, o objetivo é criar softwares que raciocinem melhor as entradas de dados e expliquem, como seres humanos, suas saídas, por meio de ações ou relatórios.

Com robôs, é possível, por exemplo, substituir pessoas que realizam tarefas repetitivas, conferir apoio para a tomada de decisão ou realizar atividades que comprometam a saúde e a integridade humanas.

Diferentemente da automação por robôs, a IA permite a realização de tarefas frequentes e volumosas de forma confiável e sem fadiga.

Como funciona?

Como o próprio nome já diz, a IA tem como objetivo simular uma característica humana muito específica: a inteligência. Seu foco está na elaboração de sistemas que consigam simular com perfeição o raciocínio humano. Mais do que seguir linhas de programação, a IA busca criar máquinas que consigam se adaptar, aprender e desempenhar tarefas como pessoas.

Entretanto, a simulação das condições da mente humana se mostrou como uma tarefa muito mais difícil do que tinha se imaginado no início de seus estudos. Isso se deve muito à dificuldade do entendimento e do funcionamento de todos os processos biológicos que acontecem em um cérebro humano.

Assim, a inteligência artificial atualmente funciona por meio de processos que envolvem muito mais do que é possível realizar nas nossas experiências do dia a dia. Ela é feita por códigos e programação que funcionam por meio de funções matemáticas.

De maneira geral, a ideia é ter uma função na qual, quando se insere um determinado valor, outro valor surge. O importante é entender que esses valores não são aleatórios, mas têm um significado e, portanto, uma função. Da mesma forma, códigos de computador também não são aleatórios, sendo que cada um deles é responsável por um papel no sistema.

Dessa forma, a IA corresponde a uma máquina com a capacidade de analisar uma enorme quantidade de dados por meio de inúmeros códigos. A forma como as máquinas analisam e a maneira como elas interpretam os dados vai depender muito da sua finalidade e da abordagem que utilizam.

Existe uma grande variedade de tecnologias baseadas em inteligência artificial. São vários códigos, dados e conhecimentos acumulados ao longo das décadas de estudo da área. Isso permite que o processo de ensino e aprendizado seja infinitamente superior ao que se pode imaginar.

Como as empresas se beneficiam da IA?

Nas empresas, o principal foco do uso de inteligência artificial é a obtenção de eficiência operacional. Isso abrange o uso inteligente de recursos, redução de tempo entre processos, aumento da previsibilidade de demanda e melhoria da experiência do consumidor.

Confira os benefícios da IA para as empresas:

  • Inovação
  • Automatização de tarefas
  • Segurança
  • Produtividade
  • Melhoria do relacionamento com o cliente
  • Análise preditiva

Quais as aplicações da IA nas empresas?

Na prática, a aplicação de inteligência artificial nas empresas pode acontecer de várias formas, veja a seguir.

  • Chatbots
  • Assistentes virtuais
  • Softwares de gestão
  • Análise de dados
  • Cruzamento de informações

A inteligência artificial permite que as empresas obtenham novos insights sobre seus clientes e processos, melhorem aspectos estratégicos, principalmente relacionados a eficiência, e criem produtos mais adequados e serviços mais inteligentes para se manterem competitivas.

Ela já é uma realidade, e não mais uma tendência. É necessário criar um planejamento eficiente, com base na adoção de novos métodos de trabalho e na preparação da cultura organizacional, além da busca por parceiros estratégicos que possam oferecer soluções acessíveis para a digitalização de processos.

Planejamento Orçamentário

O que é?

O Planejamento Orçamentário consiste em uma previsão das despesas, receitas, investimentos e lucros de sua empresa a curto prazo. São estipuladas metas que devem ser acompanhadas de perto para atingir o sucesso da empresa.

Os dados obtidos a partir do Planejamento Orçamentário servirão de termômetro para as tomadas de decisão, principalmente financeiras.

Para implantar o Planejamento Orçamentário em sua empresa, deve-se levar em consideração, além do seu objetivo, o porte da empresa.

Quando fazer o Planejamento Orçamentário?

O Planejamento Orçamentário deve ser feito sempre ao início do ano, mas deve ser acompanhado periodicamente.

Diferentemente do Planejamento Financeiro, que estipula metas para trabalho a longo prazo, o Planejamento Orçamentário trabalha com estimativas mais imediatas. A revisão é necessária para acompanhar a tomada de decisões e para que possíveis desvios na meta possam ser identificados o quanto antes.

O Planejamento deve ser feito com calma, prevendo Continue Reading…

Crescimento do setor funerário no Brasil abre espaço para serviços personalizados

Um dos mais tradicionais segmentos de negócio que existem, o mercado funerário tem crescido ano a ano e acompanhado as novidades e tendências mundiais. Os chamados serviços e produtos de death care, como é denominado o segmento atualmente, trazem diversas opções para um último adeus, seja de forma mais econômica dentro das condições financeiras dos familiares, seja com toda a pompa e circunstância.

Os dados mais recentes do nosso parceiro Sincep (Sindicato dos Cemitérios e Crematórios Particulares do Brasil), aponta que o faturamento anual do segmento no Brasil soma mais de R$ 7 bilhões, e tende a expandir. Isso deve ocorrer por conta dos novos serviços, como os direcionados aos animais de estimação, e também pelas novas tecnologias, como a transmissão online de velórios.

Diante desses resultados animadores, é natural que o mercado se diversifique e crie soluções para satisfazer às necessidades do consumidor. De empresas que oferecem tanatopraxia e necromaquiagem (respectivamente, a limpeza e preparo do cadáver e a parte estética para exposição da pessoa falecida) à crematório para pets, o universo deste ramo de negócio é repleto de possibilidades.

Para quem prefere lidar apenas com serviços direcionados aos familiares, sem a necessidade específica de manipulação dos corpos, também há espaço. Há cases de sucesso de empresas como floriculturas online, que permitem ao cliente que esteja em qualquer lugar do país solicitar a entrega de uma coroa de flores.

Atualmente, é cada vez maior o número de pessoas que optam pela cremação. Independentemente de religião ou crenças, o fato é que, nos últimos 20 anos, o número de crematórios no Brasil aumentou 1.000%. Diante desse enorme crescimento, as empresas de cremação oferecem, cada vez mais, serviços como acolhimento, ajuda na resolução de burocracias e no transporte dos familiares, bem como soluções comprometidas com o meio ambiente – algo que levanta cada vez mais adeptos.

Há também empresas especializadas na fabricação de urnas funerárias personalizadas, e também e-commerces de artigos funerários diversos, como itens para profissionais da área e para os familiares. Produtos bastante variados como terços, roupas, véus, mantos, e até mesmo cola labial, caixas e sacos para acondicionamento de ossos, instrumentais para tanatopraxia e aventais de PVC para manejo dos corpos podem ser encontrados em lojas online.

Para quem está disposto a gastar um pouco mais, existe, ainda, a possibilidade de transformar as cinzas de um ente querido em diamante. Urnas biodegradáveis também mantêm a consciência ecológica após a morte e são tendência em um mundo cada vez mais engajado e comprometido com as questões ambientais.

O que é CRM

CRM – Customer Relationship Manangement- em tradução livre significa Gerenciamento de Relacionamento com o cliente é uma estratégia de negócios, voltada para o relacionamento e acompanhamento de demandas com clientes. E permite uma visão global dos departamentos de vendas, marketing, e todos os demais que lidam diretamente com o público.

A sigla é usada também para nomear os softwares responsáveis por automatizar este relacionamento. As ferramentas de gestão tem como objetivo deixar o relacionamento com seu cliente mais ágil e eficaz.  Um bom softaware de gestão somado a um processo desenhado de forma exclusiva para sua empresa, traz ótimos resultados tanto no momento da venda quanto no pós venda.

Simplificar as tarefas do dia a dia é uma das funções da automação de processos, o que não é diferente quando se trata do relacionamento com seu cliente. Ter em mãos de forma rápida e precisa os dados de seus clientes e partir deles conseguir formular relatórios e campanhas, sejam elas de marketing ou até mesmo de cobrança, faz com que sua equipe tenha melhores resultados ao longo do dia.

O conceito de CRM está ligado à ideia de que cada cliente é único e precisa ser atendido de forma direcionada para atender às suas expectaivas. Passando desde a prospeção até o pós venda, o sistema de CRM permite que se tenha uma visão geral e estratégica do que agrega valor no atendimento ao seu cliente. A partir das informações colhidas nos atendimentos, sua equipe poderá tomar decisões de forma mais rápida e eficiente.

A partir de um software de gestão de relacionamento, você poderá ter todo o histórico de negociações, desde a prospeção até o fechamento do negócio.

O CRM da ULTRA-i permite que você pode trabalhe a prospeção de clientes em potencial. Com perguntas e respostas personalizadas para o seu negócio, permite que sua equipe de call center possa trabalhar diversas pesquisas com seus clientes. Além de enviar de forma automática SMS e e-mail para sua lista de contatos.

 

 

 

Afinal, o que é o Outubro Rosa?

Outubro Rosa, a campanha mundial realizada anualmente, visa alertar a sociedade sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama. A mobilização visa também à disseminação de dados preventivos e ressalta a importância de olhar com atenção para a saúde, além de lutar por direitos como o atendimento médico e o suporte emocional, garantindo um tratamento de qualidade.

Durante todo o mês, várias instituições abordam o tema para encorajar mulheres a realizarem seus exames e muitas até os disponibilizam. Iniciativas como essa são fundamentais para a prevenção, visto que nos estágios iniciais, a doença é assintomática.

O câncer de mama

Continue Reading…

As pequenas e médias empresas e o sequestro de dados

Há alguns anos o número de vítimas desta prática preocupante tem aumentado no Brasil, onde o cenário é ainda mais crítico, já que é o país que mais sofre com esse tipo de ataque na América Latina. Os hackers usam como arma de ataque um vírus conhecido como ransomware.

Mas o que são ransomwares?

Conhecido como o vírus do resgate, o ransomware é utilizado por hackers para o sequestro de dados de pequenas, médias e grandes empresas ou até mesmo órgãos públicos. Após ser executado, com ou sem a autorização do usuário, ele trata de codificar todos os dados do computador em questão.

Para acessá-los novamente, é necessária uma senha, que está em posse do indivíduo que controla o ransomware. Essa pessoa, então, exige o pagamento de um resgate em Bitcoins ou outra moeda digital para liberar os arquivos do dispositivo afetado. Estimativas de 2015 já registravam mais de dois milhões de ataques em todo o mundo.

A Kaspersky Lab, divulgou um alerta às pequenas e médias empresas. Em uma pesquisa sobre riscos e segurança de TI, apontou que 42% das PMEs foram vítimas de algum ataque ligado aos ransomwares nos últimos 12 meses.

Quais os danos causados e seus efeitos colaterais?

Os danos causados pelo sequestro de dados começam pela interrupção nas operações da empresa. Até que os dados sejam recuperados, todo o sistema deve ser comprometido. O cenário é ainda pior ao considerarmos que não há garantia alguma de recuperação dos dados, mesmo com o pagamento da quantia — já que estamos falando de confiar na palavra de cibercriminosos.

Mesmo com a liberação dos dados, será preciso um tempo para estabilizar o sistema e avaliar se o risco foi totalmente eliminado. Caso os dados sejam recuperados de um backup separado, ainda será preciso lidar com a perda de informações. Afinal, se o backup tiver sido feito na noite anterior ao ataque, todos os dados gerados durante o dia serão perdidos.

Ainda assim, os maiores prejuízos podem ser causados pelos efeitos colaterais. Em primeiro lugar, se uma empresa lida com dados de terceiros (clientes, fornecedores, parceiros etc.), a exposição a um sequestro, por si só, pode abrir margem para um processo judicial por vazamento de informações confidenciais.

Somado ao tempo de parada das operações, esse tipo de revés financeiro pode levar uma empresa à falência. Com a perda de notas fiscais, boletos, dados bancários e informações sigilosas, as chances de recuperação diminuem drasticamente —principalmente para pequenas e médias empresas, que possuem margem de erro mais apertada.

Sequestraram os dados da minha empresa, o que devo fazer?

A primeira medida a se tomar é isolar o dano, impedindo, desta forma, que o back-up de dados seja danificado também.

Após receber a notificação do sequestro de dados, desligue imediatamente o computador. Em seguida, informe a equipe de TI da empresa ou consultoria especializada sobre o caso. A máquina deverá ficar em quarentena, para que não possa infectar aos outros equipamentos conectados à rede corporativa.

Assim que o vírus se declarar ou for apresentada a mensagem de sequestro dos dados, o usuário terá duas opções:

1. Excluir o vírus e apagar todos os dados infectados. Com o ransomware eliminado e após uma minuciosa vistoria, um back-up dos dados perdidos poderá ser restaurado no computador.

2. Realizar o pagamento para obter a senha e recuperar os dados. Nessa situação, o valor do resgate será proporcional à quantidade de dados sequestrados. A empresa estará sujeita a desembolsar alguns milhares de reais para conseguir suas informações de volta. É importante destacar, mais uma vez, que essa ação não é recomendada. Sequestro de dados é crime!

Procure ajuda da polícia em uma situação como essa e registre um boletim de ocorrência. Algumas cidades, inclusive, contam com delegacias especializadas em delitos praticados por meios digitais.

Como proteger minha empresa contra o sequestro de dados?

A utilização de um antivírus é essencial e indispensável para evitar o sequestro de dados do seu negócio. É também de suma importância contar com o apoio de um profissional de TI ou um parceiro especializado. Além disso, alguns hábitos ajudarão a blindar a sua rede contra ransomwares e outros tipos de vírus.

Atenção aos seus e-mails
Geralmente e-mails são a principal porta de entrada para os vírus, entre eles, os que executam o sequestro de dados.
Fique sempre atento aos anexos, cuidado ao abrir arquivos com extensões .com, .exe, .vbs, .zip, .scr, .dll, .pif e .js.

Navegue de forma segura
Diversos sites maliciosos tentam a todo tempo explorar brechas em seu navegador, tentando inserir programas e extensões sem sua autorização.
Mantenha sempre seu navegador atualizado para não sofrer com o sequestro de dados.

Faça backups com regularidade
A realização do backup deve ser parte da rotina da empresa a ser realizado, de preferência, diariamente.

É recomendável também programar o backup para que tenha sempre até 5 versões do arquivo original. Fazendo assim que essa seja a forma mais segura de conservar suas informações, caso a empresa seja vítima do sequestro de dado.

Sempre atualize seus softwares
Assim como você deve manter seu navegador atualizado, manter seu computador e antivírus é também de extrema importância.
Tenha sempre a última versão disponibilizada. Essa é mais uma forma de tapar as brechas e garantir a segurança do seu computador e dados.

Bios Urn – Urna Biodegradável e Ecológica

Algumas culturas enxergavam as árvores como símbolo de imortalidade. E se agora essa crença se tornasse realidade? Pois bem, empresas já criaram Urnas biodegradáveis que, com o devido preparo, transforma as cinzas, matéria orgânica residual do corpo, em árvores! Vamos explicar melhor como funciona.

Todo o processo, claro, é feito após a cremação do corpo. Feito isso, a Urna Biodegradável é preenchida com turfa e uma semente. Após depositar as cinzas, a urna é “plantada” e dela brotará vida, nascendo uma nova árvore.

imagem do site noctulachannel.com

O principal objetivo dos criadores da urna ecológica é substituir cemitérios por um bonito parque natural, que além de preservar, cria uma fonte natural de oxigênio. Já imaginou se todos os cemitérios se tornassem verdadeiras florestas? O mundo com certeza agradeceria.

O uso da biodegradável, também estará reduzindo os resíduos poluentes causados por um funeral tradicional.
As urnas são, geralmente, desenvolvidas em materiais biodegradáveis: casca de coco, turfa e celulose. A semente de arvore varia de acordo com a área que escolhemos plantar.

LGPD no RH da empresa

A Lei Geral de Proteção de Dados já está batendo a porta. Em agosto de 2020 todas as empresas que, de alguma forma trabalham com dados pessoais, deverão estar adequadas aos requisitos da lei.

Um dos departamentos da empresa que será impactado pela nova regra de proteção de dados pessoais é o RH.

A equipe de Recursos Humanos, é a responsável pela manipulação dos dados pessoais e também sensíveis de todos os funcionários da organização. Além de receber os dados de todos os candidatos às vagas que surgem na empresa.

Para que estes dados sejam mantidos em segurança, é preciso se atentar a todo o processo, desde a chegada dos currículos, sejam eles físicos ou por meio digital, até o registro do funcionário contratado. É essencial mapear os caminhos que estes documentos percorrem para identificar uma possível vulnerabilidade. Todas estas informações devem estar presentes no Relatório de Impacto (documento a ser elaborado pela empresa onde estejam presentes todos os dados manipulados por ela).

O armazenamento destes dados deve ser feito de forma segura, lembrando que os arquivos físicos também devem estar protegidos. Para o caso dos dados e documentos digitais, é indispensável o uso de um sistema seguro, que esteja adequado aos melhores protocolos de segurança.

O cuidado se inicia no momento do recrutamento

Se sua empresa possui um site onde há espaço para cadastro de currículos, é importante que o site também esteja adequado à nova LGPD. Além de seguro, é necessário que seja exibido um formulário eletrônico ou um aviso indicando como serão usados os dados coletados serão usados.

Este formulário pode ser usado também na recepção de currículos físicos e devem conter também o tempo de arquivamento desse documento e garantir o seu descarte correto.

Dados Seguros

Outro ponto a ser destacado, é o correto descarte dos documentos físicos. O uso de equipamentos como fragmentadoras deve ser adicionado a rotina de todo o pessoal responsável pela manipulação desses documentos.

A equipe deve estar devidamente instruída sobre a importância de manter seus equipamentos de trabalho, como notebooks, sempre bloqueados enquanto não estiverem em uso. E o devido cuidado também na segurança do acesso à internet.

O gestor de RH deve estar ciente de todos os impactos trazidos pela nova lei de segurança de dados para construir junto de sua equipe, todos os procedimentos necessários para a proteção de dados de seus colaboradores.